Sujeira pra todo lado

Outro dia precisei ir a Realengo, um bairro próximo de onde moro, também localizado na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. Daqui, Campo Grande, até lá são aproximadamente 15 (quinze) quilômetros, seguindo pela Avenida Brasil.

Observei, nos trajetos de ida e volta, uma quantidade enorme de pontos onde a população está depositando lixo. Confesso que perdi a conta. E olha que eu estava dirigindo, e, portanto, a visualização se restringia às margens daquela importante rodovia. Em alguns locais cheguei a parar, visando fazer algumas imagens. As mais expressivas estão aqui publicadas.

Verifiquei, nas paradas que fiz, que havia de tudo nesses depósitos: lixo orgânico, grande quantidade de recicláveis, restos de obras, entulhos de todos os tipos e até carcaças de animais.

Bom, tendo em vista o quadro lamentável observado, cheguei a algumas conclusões. Em primeiro lugar, é notória a falta de educação e de consciência ambiental das pessoas. Começo até a questionar como anda o instinto de autopreservação delas. O descarte inadequado de resíduos sólidos é um problema muito sério em nosso país, algo que já comentei em publicação de 2017 deste Blog. Não bastasse a COVID-19 (e alguns podem até relacionar o desleixo geral com isso), o acúmulo de inservíveis ainda proporciona o aparecimento de inúmeros criadouros de Aedes aegypti, o famoso mosquitinho da Dengue, Zika, Chikungunya, Febre Amarela Urbana, etc… Claro que essa sujeirada atrai, também, quantidade considerável de outros insetos e roedores. Nem precisa falar do risco que uma situação dessas pode acarretar à Saúde Pública.

O Poder Público, neste caso a Prefeitura, não tem feito seu papel a contento. Note-se que, mesmo antes da pandemia do novo coronavírus, a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (COMLURB), outrora a “joia da coroa” da municipalidade e empresa com grande prestígio, enfrentava gestões temerárias de apaniguados políticos nomeados pelo atual Prefeito, e, com isso, a qualidade de suas ações sofreu queda significativa. Venho acompanhando o que dizem os profissionais que lá atuam, mesmo porque também já fui empregado da COMLURB e ainda possuo vários contatos, e os mesmos têm se mostrado bastante desmotivados.

No quesito fiscalização, também falha a Prefeitura quando aparentemente faz vista grossa para essa imundice toda e deixa de lado o que prescreve a Lei nº 3273, de 6 de setembro de 2001, regulamentada no ano seguinte, que dispõe sobre a gestão do sistema de limpeza urbana no Município do Rio de Janeiro. Muito além da horrenda aparência, estamos tratando da saúde dos cariocas, lembrando que os nossos hospitais já estão mais do que sobrecarregados na atual conjuntura.

Cumpre lembrar, en passant, que essa quantidade de lixo nos logradouros é “prato cheio” para os alagamentos, tendo em vista a obstrução dos bueiros.

Termino por aqui, prestando uma homenagem aos bravos guerreiros da limpeza urbana, a turma da ponta, e aos amigos e amigas da Secretaria Municipal de Saúde. Sei que estão fazendo o possível, dentro de todas as limitações existentes.

Sobre Mauro Blanco

Sou carioca da gema, morador da Zona Oeste, tricolor, bacharel e mestre em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e servidor concursado da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. Já atuei como Oficial Temporário no Exército Brasileiro, na Companhia Municipal de Limpeza Urbana (como Subgerente na Gerência de Vetores), na Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (como Coordenador de Controle de Vetores, Coordenador de Vigilância Ambiental em Saúde e Diretor do Centro de Vigilância e Fiscalização Sanitária em Zoonoses Paulo Dacorso Filho), e na Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais, instância pertencente à Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, como Subsecretário.
Esta entrada foi publicada em Educação, Natureza, Saúde Pública e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas para Sujeira pra todo lado

  1. Fernando J M Pinto disse:

    É isso aí companheiro. Temos de mostrar essas falhas imperdoáveis da prefeitura. Também soube que muitos amigos da antiga administração da Comlurb foram exonerados pra dar lugar aos apadrinhados. É muito triste esta situação.

    • Mauro Blanco disse:

      Quando a politicagem toma conta, dando lugar aos oportunistas (e cabos eleitorais) de plantão, normalmente observamos queda na qualidade dos serviços prestados pelos órgãos públicos, Fernando. Uma lástima que isso esteja ocorrendo de forma tão explícita, e não somente em relação à limpeza urbana. Soube há pouco que na Fundação RioZOO também houve demissão em massa de profissionais antigos e experientes para dar lugar a gente absolutamente incompetente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *