E viva o ecoturismo!

O carioca desligou o celular, não quis saber de computador, de televisão e nem de jornal. Internet? Passou longe! Estive, juntamente com esposa e filhos, visitando por alguns dias de Carnaval duas fascinantes cidades do Mato Grosso do Sul: Miranda e Bonito. Elas se localizam na parte oeste daquele Estado, distando pelas rodovias cerca de 208 e 298 quilômetros, respectivamente, da capital, Campo Grande. Esta, por sua vez, fica no centro daquela unidade federativa.

Na primeira cidade, tivemos oportunidade de visitar uma fazenda gigantesca, com 15.000 hectares, chamada San Francisco. Por lá, pelas informações que recebemos, tem início o Complexo do Pantanal, ressaltando que 80% dele, que é considerado “Patrimônio Natural Mundial” e “Reserva da Biosfera” pela UNESCO, está em território brasileiro, mais especificamente em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. O restante fica principalmente na Bolívia e uma pequena parte no Paraguai, onde recebe o nome de Chaco. Impressiona, além do tamanho da fazenda, a organização e a forma de tratamento aos turistas. Além de possuir enormes áreas destinadas ao plantio de arroz, soja e milho, com equipamento moderno para colheita e transporte, a San Francisco ainda possui vasta criação de cavalos (Crioulo) e bovinos (Nelore, Montana Tropical e Senepol), isso sem falar nas áreas de mata fechada, preservadas, que nem quem trabalha lá tem acesso. Preservação total.

Convivência pacífica entre os tuiuiús, aves-símbolo do Pantanal, também conhecidos como jaburus e tuins-de-papo-vermelho, e os cabeças-seca no arrozal da Fazenda San Francisco.

E lá fomos nós, com os demais visitantes daquele dia, sobre uma espécie de caminhão adaptado, percorrer as trilhas daquele lugar impressionante. Um rapaz muito atencioso e inteligente foi nosso guia, orientando-nos o tempo todo sobre os animais que avistávamos. Um dos momentos mais emocionantes foi o avistamento repentino de uma formosa fêmea de cervo-do-pantanal (Blastocerus dichotomus) na beira da estrada. Silêncio total, pois qualquer som estranho poderia fazer com que ela fugisse rápido, o que ocorreu em poucos segundos. Os animais locais estão acostumados com o tráfego e o barulho dos veículos, mas a voz humana os afugenta – o que é muito bom para eles, não? Observaríamos um macho, com sua galhada peculiar, logo após, no interior dos arrozais, bem longe. Não deu a mínima para nós e seguiu seu caminho com tranquilidade.

O cervo-do-pantanal é o maior veado da América do Sul, com quase 2 metros de comprimento e chegando a 2,1 metros de altura incluindo os chifres que medem de 40 a 45 cm.

Em Bonito, que aliás é muito bonita, nos aventuramos nas Grutas de São Miguel, localizadas a uns 12 quilômetros do centro daquela cidade, no Parque Ecológico Vale Anhumas. Entramos na gruta devidamente paramentados, com capacete e lanternas especiais, sem esquecer do imprescindível repelente. Um guia experiente nos acompanhou e prestou todas as informações sobre ela. Posou para a fotografia na saída, a propósito, um morcego conhecido como falso-vampiro (Chrotopterus auritus).

O Chrotopterus auritus é o segundo maior morcego do Brasil e das Américas. Podem atingir uma envergadura em torno de 70-80 cm e pesar cerca de 100 g.

Mergulhamos de cabeça, literalmente, na última aventura por lá, realizada na Reserva Ecológica Baía Bonita. Trata-se do passeio de flutuação no aquário natural, um momento inesquecível e emocionante dentro de águas cristalinas, rodeados por peixes e vegetação belíssimos. Para ver parte da nossa atuação nesse passeio, clique aqui. Não fizemos feio, não!

E para nós, que somos oriundos e vivemos numa grande metrópole, respirando monóxido de carbono todos os dias nos sufocantes engarrafamentos, atarantados e estressados no corre-corre rotineiro, vendo diariamente o nosso verde clorofílico ser substituído pelo cinza pálido do concreto nos empreendimentos imobiliários… sem falar da violência galopante, fica a grande saudade das terras sul-mato-grossenses, e a esperança de retornar lá mais uma(s) vez(es).

Como é difícil traduzir tudo o que vimos em palavras, no vídeo abaixo mostro algumas imagens que fiz nessa magnífica viagem. Espero que você goste. Eu amei.

Sobre Mauro Blanco

Sou carioca da gema, morador da Zona Oeste, tricolor, bacharel e mestre em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e servidor concursado da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. Já atuei como Oficial Temporário no Exército Brasileiro, na Companhia Municipal de Limpeza Urbana (como Subgerente na Gerência de Vetores), na Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (como Coordenador de Controle de Vetores, Coordenador de Vigilância Ambiental em Saúde e Diretor do Centro de Vigilância e Fiscalização Sanitária em Zoonoses Paulo Dacorso Filho), e na Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais, instância pertencente à Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, como Subsecretário.
Esta entrada foi publicada em Natureza e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

21 respostas para E viva o ecoturismo!

  1. Denise Mitiko Farah disse:

    Gostei muito de ver tudo isso ! Minha mãezinha, que hoje está do outro lado gostava muito de viajar pelo Brasil, diferente de mim, que prefiro ir pra fora. Mas vejo que estou perdendo muita coisa bonita… Abraços

    • Mauro Blanco disse:

      Recomendo a viagem para Mato Grosso do Sul, amiga Mitiko. Conheço a realidade dos chamados “jardins” zoológicos, principalmente o daqui da Cidade do Rio de Janeiro. Escrevi até um texto no Blog do Blanco em 2012, intitulado “SOS Animais Silvestres”, retratando a triste sina que é o confinamento. Ver esses mesmos animais em seu ambiente, soltos, sem jaulas, gaiolas e/ou cercados, é algo que me deixou muito emocionado.

      • Denise Mitiko Farah disse:

        Detesto animais confinados!! Qdo era pequena, ia ao Jardim Zoológico, mas aquilo era normal pra mim! Hoje entendo a realidade das coisas e sou contra! Abçs

  2. Roberto Guimarães disse:

    Ainda estou devendo para mim uma viagem ao Pantanal. Por lá apenas conheço Cuiabá. Bela matéria.

  3. Edinaldo disse:

    Adorei o artigo Mauro!!!! Muito bem vindo num momento em que a raça humana tem colocado a sua própria sobrevivência em risco por conta de tantas agressões ao planetinha azul provavelmente achando que elé indestrutível!!! Compartilhei

    • Mauro Blanco disse:

      Obrigado, meu caro Edinaldo. Se continuarmos nos comportando como “gafanhotos”, exaurindo os recursos desta nossa nave espacial sem pensar no futuro da raça humana, a situação ficará cada dia mais difícil.

  4. Fernanda disse:

    Obrigada por dividir conosco esses momentos únicos num lugar divino – no Brasil!
    Sem dúvidas Bonito será o meu próximo destino!
    Abçs

  5. Nilma disse:

    Excelente artigo. Nele você retrata um Brasil que ainda pode ser respeitado. Nossa fauna e flora agradece a pessoas como você por divulgar essa grandiosa beleza.

    • Mauro Blanco disse:

      Valeu, querida Nilma. Me vi na obrigação, enquanto brasileiro, de mostrar a todos que há um Brasil que dá certo, ainda mais no momento crítico pelo qual atravessamos. A esperança deve ser a última a morrer.

  6. Renato disse:

    Gostei bastante Mauro! Isto só reforça que lá é um lugar que se possível, devemos visitar. Poucas coisas na vida são tão boas e fazem tão bem ao espírito quanto se desligar da rotina e das obrigações urbanas e se aventurar para ter um contato íntimo com a natureza.

  7. Ari Pereira Arruda disse:

    Este espaço do Mauro Blanco, é de grande valia para a sociedade, com informações de supra importância e actualizada. Precisamos de pessoas como você, com compromisso sério com a população. Meus parabéns pela bela iniciativa.

  8. Griselda Linhares disse:

    Que linda viagem acabei de fazer… Que pena que nosso povo não valorizam a beleza que temos. Este final de semana recebi um vídeo com uma canção antiga “eu te amo meu Brasil”, com belas imagens do nosso país. Que orgulho me deu.

    • Mauro Blanco disse:

      Sim, amiga Griselda, o nosso país é lindo. Pena que algumas pessoas fazem de tudo para estragá-lo em nome da ganância e do poder. Precisamos nos unir, fazer uma “corrente do bem”, para reverter esse quadro.

  9. REGINA MARIA SEIBEL MELO disse:

    Querido Mauro.
    Minha filha, Renata Seibel esteve em Bonito, efetuando mapeamentos geológicos e também adorou o local.
    Com certeza, ela irá gostar muito da sua postagem. Um grande abraço.
    Regina Seibel

  10. Danielle Porcari disse:

    Amei o post Mauro! Estive em Bonito no período do Ano Novo pois minha irmã está morando lá! Foi uma excelente oportunidade para conhecer este lugar incrível e repleto de coisas lindas e energia positiva! Quando temos esta oportunidade maravilhosa de conhecer estes lugares bate uma enorme vontade de fugir do Rio de Janeiro e ir explorar novos locais para quem sabe residir com uma qualidade de vida muito melhor!
    Bjs

    • Mauro Blanco disse:

      Pois é isso mesmo que pensei, amiga Danielle, ir morar lá quem sabe um dia. A vida na cidade grande é por demais estressante… e, atualmente, perigosa! Aquele lugar transportou minha mente para um horizonte absolutamente desconhecido para mim. Quem sabe?

Deixe uma resposta para Nilma Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *